Inicio. Saltar al contenido principal.

Acceso a otros temas jcyl.es

Página de inicio de la Junta de Castilla y León

Comunidade Rural Digital

Contacto

Idiomas

Acceso a otros temas jcyl.es

Comunidade Rural Digital

Logotipo del Comunidade Rural Digital

Contenido principal. Saltar al inicio.

Atividades

  • Abre una ventana o marco nuevoContactos
  • Abre una ventana o marco nuevoEnviar conteúdo
  • Abre uma nova janelaImprimir conteúdo
Diagnóstico de estado real e medição da evolução tecnológica da Comunidade Rural Digital

Atividade 1 visa avaliar e determinar o estado atual da Comunidade Rural Digital, a fim de estabelecer um ponto de partida para iniciar o trabalho para melhorar a capacidade institucional das autoridades públicas e partes interessadas, bem como a eficiência da administração pública e seu impacto nos cidadãos, através de cooperação transfronteiriça. Além disso, esta atividade visa lançar as bases para a medição, ao longo de todo o projeto, da evolução tecnológica da Comunidade Rural Digital e de qualquer outra Administração Local transfronteiriça que queira usar essa metodologia de avaliação. Esta fase de diagnóstico servirá para ajustar os conteúdos e atividades a cada área específica de acordo com suas necessidades específicas.

AÇÃO 1.1 Estudo do estado atual da inovação e modernização tecnológica nas administrações locais:

Esta acção tem por objectivo delimitar o quadro tecnológico conjunto dentro do qual são as administrações locais que fazem parte da Comunidade Rural Digital. Para este fim, será desenvolvido um estudo comparativo transfronteiriço através de pesquisas e análises do nível de desenvolvimento do uso de novas tecnologias nas administrações locais e pelos cidadãos, que será uma avaliação da situação real atual, além da base para poder contextualizar e desenvolver ações e atividades subseqüentes. Com base neste estudo, será elaborado um relatório com as principais conclusões, tentando identificar as necessidades conjuntas que devem ser abordadas como os principais objetivos.

AÇÃO 1.2. Análise de resultados através de grupos de trabalho formados pelas diferentes administrações locais e propostas de intervenção:

Ao longo desta ação, serão criados grupos de trabalho, compostos por membros das administrações locais transfronteiriças participantes, que analisarão os resultados da ação 1.1, principais causas e conseqüências dos diferentes graus de adaptação tecnológica e, além disso, faça várias propostas para melhorar a situação atual. As idéias geradas através dos diferentes grupos de trabalho serão compartilhadas entre Espanha e Portugal. Desta forma, será possível classificar o desenvolvimento da inovação e modernização tecnológica das diferentes administrações locais, com o ponto de vista direto das entidades envolvidas e sempre tendo em mente todas as melhorias possíveis e expansão de serviços que as organizações participantes considerem apropriadas . Os indicadores atuais serão comparados com os resultados obtidos no projeto POCTEP "Rede Transdigital", a fim de determinar a eficácia das medidas tomadas no projeto anterior e avaliar os progressos realizados desde 2013 (ano em que o projeto "Rede Transdigital ") Nas administrações locais do parceiro.

AÇÃO 1.3. Elaboração de estratégias de intervenção para melhorar a situação atual em inovação e modernização tecnológica nas administrações locais:

Como resultado das Ações 1.1 e 1.2, será obtida uma série de resultados, ajustados à situação atual e ao contexto do desenvolvimento da inovação e modernização tecnológica das administrações locais, a partir do qual uma série de estratégias de intervenção adaptadas às diferentes níveis. Esta estratégia de intervenção conterá:     

  • Os serviços públicos eletrônicos específicos a serem desenvolvidos na atividade 3.    
  • Os temas específicos das atividades de treinamento que compõem o plano de treinamento tecnológico que é necessário transmitir aos cidadãos e funcionários da atividade 4.

AÇÃO 1.4. Implementação e mensuração do painel de indicadores de inovação tecnológica transfronteiriça da Comunidade Rural Digital:

O objetivo desta ação é a realização de um painel de indicadores que servirá para estabelecer um comparativo, em conjunto, o grau de inovação tecnológica nos municípios. Este painel de indicadores servirá de base para o desenvolvimento, ao longo de todas as fases do projeto, de uma análise da evolução da capacidade institucional e da eficiência da administração pública no nível transfronteiriço. Através deste trabalho, serão avaliados aspectos como o grau de apoio estratégico e político das diferentes administrações locais transfronteiriças para a aplicação das TIC, o envolvimento interno e a estruturação das pessoas envolvidas na incorporação das diferentes administrações à Sociedade de Informações, planejamento e equipamentos para otimizar os recursos disponíveis e sua gestão eletrônica, a disponibilidade de serviços on-line implementados pelas Prefeituras e as infra-estruturas tecnológicas que eles possuem para sua interação com os cidadãos, ou diferentes planos de comunicação e difusão pelas administrações locais para cidadãos, empresas e funcionários públicos, a fim de melhorar a gestão eletrônica.

Impulso da Rede de Comunidades Rurais Digitais

A Actividade 2 visa promover a Rede de Comunidades Rurais Digitais para estabelecer uma rede contínua de inovação entre as entidades transfronteiriças locais, através de fóruns para o intercâmbio de experiências inovadoras entre as administrações locais participantes, bem como a criação da Rede CRD e instalação de ferramentas de suporte, tudo para maior eficiência da administração pública e seu impacto na cidadania.

AÇÃO 2.1. Estabelecimento de uma rede de inovação contínua entre as entidades transfronteiriças locais:

Esta ação consolidará uma rede de técnicos nas administrações locais da Comunidade Rural Digital envolvida na inovação local, com um caráter de continuidade além da duração do projeto. Desta forma, as várias iniciativas e atividades relacionadas à inovação tecnológica serão incorporadas e comunicadas periodicamente, em favor da construção de conhecimento colaborativo e da transferência de experiência em inovação que possa servir de inspiração ou guia para as diferentes entidades envolvido.

AÇÃO 2.2. Fóruns para o intercâmbio de experiências inovadoras entre as administrações transfronteiriças locais:

Após o estabelecimento da rede descrita na Ação 2.1, na Ação 2.2 serão desenvolvidos diferentes fóruns transfronteiriços para o intercâmbio de experiências para permitir a transferência de conhecimento sobre a aplicação da inovação tecnológica pelas administrações locais. O desenvolvimento desta ação permitirá a reutilização e adaptação da aplicação de diferentes estratégias de inovação, o desenvolvimento de novas funcionalidades, bem como a adaptação a cada contexto concreto.

AÇÃO 2.3. Criação do escritório da rede CRD e instalação de ferramentas de suporte:

Com base nas experiências nascidas das Acções 2.1 e 2.2, a rede comunitária Rural Digital será apoiada através da implementação do escritório da rede CRD, que prestará serviços de apoio às administrações locais para o desenvolvimento das TIC em o escopo local. Para isso, será criada uma intranet onde as diferentes entidades envolvidas podem se comunicar e compartilhar conhecimento e experiências. Além disso, será equipado com um sistema de coordenação de projetos, monitoramento tecnológico, gerenciamento de publicações relevantes para o projeto e incorporando um catálogo de soluções inovadoras.

Implementação de soluções inovadoras para o Governo Inteligente

A atividade 3 visa implementar uma série de soluções inovadoras que levam à governança inteligente através do desenvolvimento de soluções abertas, o lançamento de serviços públicos digitais da Smart City / Smart Territory ea transferência e implementação de soluções em outras entidades locais focadas nos resultados obtidos na Actividade 1 e na Actividade 2. O impacto do desenvolvimento deste tipo de iniciativas na administração pública terá um impacto directo nas empresas e cidadãos, ajudando a criar uma sociedade mais eficiente e competitiva.

AÇÃO 3.1. Estudo e análise de soluções abertas disponíveis:

Nesta Ação, será realizada uma análise preliminar para identificar soluções disponíveis na Internet e em catálogos já desenvolvidos em outros projetos ou por outras entidades. Um estudo de viabilidade será realizado para reutilizar tais soluções e será coletado em um catálogo on-line de aplicativos reutilizáveis ​​que serão disponibilizados a qualquer administração local para possível implementação.

AÇÃO 3.2. Desenvolvimento de soluções abertas e criação de serviços públicos digitais da Smart City / Smart Territory:

Nesta ação serão desenvolvidos serviços on-line com base em soluções de software abertas que permitem sua reutilização entre diferentes administrações locais. O desenvolvimento dessas aplicações gerará novas oportunidades de negócios para as empresas locais de TIC, em termos de manutenção, suporte local, desenvolvimento de novas funcionalidades, evolução e adaptação a outras áreas da cidadania.

Da mesma forma, os serviços eletrônicos smart city / smart territory (Smart City / Smart Territory) serão implementados nas administrações locais espanholas e portuguesas para facilitar as relações com entidades locais em ambos os lados da fronteira.

Para este fim, os serviços eletrônicos serão implementados para permitir o gerenciamento inteligente da cidade ou território, nas seguintes áreas:

  • Governo inteligente: serviços digitais para governo eletrônico e governo aberto com o objetivo de promover transparência, participação e colaboração cidadã através de debates, pesquisas, escuta ativa em redes sociais, análise e visualização de dados públicos abertos e georreferenciado.
  • Turismo inteligente: promover serviços eletrônicos para o turismo transfronteiriço em áreas de grande influência turística, como o centro de Portugal, Salamanca e Valladolid.
  • Água inteligente (serviço digital de consumo e gestão da água) reutilizável pelas administrações participantes.
  • Smart Social: um serviço de telecareira transfronteiriça.

Esses serviços visarão promover a competitividade das empresas e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, bem como facilitar o desempenho das atividades econômicas das empresas espanholas e portuguesas para que possam interagir com as administrações transfronteiriças.

AÇÃO 3.3. Transferência e implementação de soluções em outras entidades locais:

Esta ação promoverá a implementação de aplicativos contidos em um catálogo de soluções reutilizáveis.

Para isso, oferecerá suporte e assessoria na implementação de aplicativos em entidades locais e promoverá a implementação de soluções desenvolvidas por outros parceiros. Será gerado um manual de instalação para soluções abertas interoperáveis. Finalmente, os guias de aplicação de TIC serão publicados em diferentes áreas da administração, tais como faturamento eletrônico, licitação pública eletrônica, redes sociais, dados abertos, etc. que permitem às administrações locais conhecer os processos, métodos e recursos necessários para implementar as TIC a nível local.

Formação de cidadãos e funcionários públicos

A Actividade 4 centra-se na formação de cidadãos e funcionários públicos através da realização de um mestrado em TIC transfronteiras para funcionários públicos locais, a disponibilização de vários seminários de sensibilização para empresas e pequenas empresas no uso inteligente das tecnologias e da organização de reuniões temáticas sobre inovação para técnicos TIC das administrações locais. Os parceiros envolvidos desenvolverão no seu território as oficinas e oficinas de correspondentes para a dinamização de novas oportunidades de negócio TIC-TIC TIC, fornecem informações sobre conjuntos de dados públicos para reutilizar informações do setor público e gerar serviços de valor agregado e organizar cursos de formação para empresários e funcionários públicos sobre o uso das TIC.

AÇÃO 4.1. Mestre de inovação transfronteiriça para funcionários públicos locais:

Será organizado um curso de formação em inovação para funcionários públicos em Espanha e em Portugal, para que os responsáveis ​​das Prefeituras, dos Conselhos Provinciais e das Câmaras Municipais recebam treinamento extensivo e aprofundado em todas as áreas de implementação e uso dos novos serviços. Apresentará os diferentes serviços digitais desenvolvidos e será treinado com os conhecimentos necessários para poder implementar em suas próprias Administrações Públicas e poder usar todos os recursos relacionados à inovação tecnológica.

AÇÃO 4.2. Seminários de conscientização para cidadãos e empresas no uso inteligente das tecnologias:

Serão organizadas atividades de capacitação e conscientização para os cidadãos para que possam aproveitar a administração eletrônica e os novos serviços e dados oferecidos pelas administrações públicas para criar sociedades mais competentes e modernizadas. O treinamento oferecido será complementado pelo suporte de e-learning para facilitar o acesso flexível aos recursos de treinamento nas áreas rurais através da Internet.

AÇÃO 4.3. Reuniões temáticas sobre inovação para técnicos TIC das administrações locais:

Serão organizadas reuniões diferentes sobre temas que irão girar em torno da inovação e onde os técnicos das TIC das administrações locais poderão trocar experiências, preocupações e opiniões, bem como desenvolver um nível de conhecimento mais elevado e competente sobre inovações tecnológicas e sua aplicação no interior as entidades pelas quais são responsáveis.

Gestão e Coordenação

Esta atividade compreenderá todas as ações necessárias para a correta gestão e coordenação do projeto em todas as suas fases.

ACÇÃO 5.1. Coordenação estratégica e técnica do projeto

AÇÃO 5.2. Acompanhamento financeiro

AÇÃO 5.3. Monitoramento e Avaliação

Comunicação

Para garantir o bom funcionamento e divulgação do projeto, será desenvolvido um plano de comunicação para toda a parceria que tomará forma em cada um dos territórios de ação, com a ajuda de parceiros, em planos de comunicação locais.

AÇÃO 6.1. Plano de comunicação e criação de identidade visual:

O Plano de Comunicação conterá pelo menos os seguintes aspectos: objetivos e grupos-alvo, estratégia e conteúdo das medidas de IP, responsáveis ​​pela implementação de medidas de IP, resultados e entregas, cronograma, orçamento e o sistema de indicadores que permite a avaliação das medidas de IP.

Um oficial de comunicação será designado cujas funções serão as seguintes:

  • implementação do plano de comunicação do projeto;
  • produção de material de informação;
  • organização de eventos e comunicação e divulgação de resultados de projetos.

Será responsável pelo desenvolvimento, com a ajuda dos parceiros participantes, de uma lista de divulgação.

Está previsto criar uma identidade visual: criação de um logotipo específico do projeto que sempre acompanhará o logotipo da União Européia e INTERREG.

O portal web é um mecanismo de divulgação e comunicação com o qual se destina a atingir o maior número de pessoas e melhorar a troca de informações. Ao longo do projeto e após a sua conclusão, haverá links para o portal da Web a partir das páginas da web das entidades participantes.

Um boletim será enviado com novidades, eventos relacionados ao projeto e informações de interesse na aplicação das TIC em entidades locais. Do mesmo modo, será feito um vídeo informativo para promover os principais eixos de ação do projeto e os resultados e conquistas alcançados ao longo do projeto.

Uma intranet de uso restrito será desenvolvida entre os parceiros como uma ferramenta de informação sobre o projeto (notícias de interesse, lista de disseminação de boas práticas, publicação de produtos / resultados do projeto, etc.).

AÇÃO 6.2. Desenvolvimento de material informativo e informativo:

O material informativo que será elaborado consistirá em:  

  • Design de logotipo e imagem corporativa do projeto     
  • Pastas com informações do projeto, cartazes, folhetos e itens promocionais: sacos, notebooks, canetas, etc.

AÇÃO 6.3. Seminários de capitalização e difusão do projeto:

Um dia geral de apresentação do projeto será organizado em Espanha. Para um maior impacto na difusão, os folhetos serão publicados e os comunicados de imprensa serão enviados.

No final do projecto, no final do segundo semestre de 2018, será organizado um dia de encerramento em Portugal. Promoverá a participação das administrações públicas no projeto. Um relatório com as histórias de sucesso será lançado para esta ocasião.

A nível local, cada um dos parceiros organizará um dia de divulgação do projeto entre os principais agentes de cada um dos territórios do POCTEP.

Uma conferência de imprensa será realizada para o dia de lançamento e o dia de encerramento.